Rm 4

Rm 4:1 O que, pois, diremos Abraão (o nosso pai segundo a carne) ter alcançado?
Rm 4:2 Porque, se Abraão em- decorrência- de [suas] obras foi declarado justificado, [então] ele tem base- de- que- gloriar[- se]. Mas não diante de Deus.
Rm 4:3 Porque, o que diz a Escritura? "Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça."
Rm 4:4 Ora, àquele [que está] trabalhando, o salário não lhe é contado como [ser] graça, mas como [ser] dívida.
Rm 4:5 Àquele, porém, [que] não [está] trabalhando mas [está] crendo sobre Aquele [que está] declarando justo o ímpio, é imputada a sua fé para justiça.
Rm 4:6 Assim- como também Davi declara as bem-aventuranças do homem a quem Deus imputa justiça, sem obras, [dizendo]:
Rm 4:7 "Bem-aventurados [são aqueles] de quem foram perdoados os desprezos às leis, e de quem foram cobertos os pecados.
Rm 4:8 Bem-aventurado [é o] varão a quem de modo nenhum impute [o] Senhor pecado".
Rm 4:9 [Vem] esta bem-aventurança, pois, [somente] sobre a circuncisão, ou também sobre a incircuncisão? Porque dizemos que a Abraão foi contada [sua] fé para justiça.
Rm 4:10 Como, pois, [lhe] foi contada? Em circuncisão estando [ele]? Ou em incircuncisão? Não em circuncisão, mas em incircuncisão.
Rm 4:11 E ele recebeu [o] sinal d[a] circuncisão (um selo da justiça da fé, a qual [ele tinha] dentro da incircuncisão) para ele ser pai de todos aqueles [que estão] crendo através [de todo o tempo] de incircuncisão, a fim de, também a eles, ser imputada a justiça,
Rm 4:12 E [também] [ser Abraão] pai d[a] circuncisão para aqueles [que] não [são] meramente provenientes- de- dentro- d[a] circuncisão, mas que também [estão] andando nas pisadas da fé, aquela do nosso pai Abraão ainda na [sua] incircuncisão.
Rm 4:13 Porque não por- operação- de lei [foi dada] a Abraão (ou à sua semente) a promessa de herdeiro ser ele do mundo, mas por- operação- d[a] justiça d[a] fé.
Rm 4:14 Porque, se os que [são] provenientes- de- dentro- d[a] Lei [são os] herdeiros, [logo] tem sido anulada a fé e tem sido tornada de nenhum efeito a promessa
Rm 4:15 (Porque a Lei opera [a] ira. Porque onde não há lei também não [há] transgressão).
Rm 4:16 Portanto, [é] decorrente- d[a] fé, a fim de que [seja ela] segundo a graça, para ser firme a promessa para toda a semente, não somente para aquela proveniente- de- dentro- da Lei, mas também para aquela proveniente- de- dentro- d[a] fé d[o] Abraão, o qual é [o] pai de todos nós
Rm 4:17 (Como tem sido escrito: "Por pai de muitas nações Eu te tenho constituído,") perante Aquele em Quem ele creu ([a saber,] Deus, o Qual [está] vivificando os mortos e chamando as coisas [que] não [estão] sendo como se [já estando] sendo).
Rm 4:18 O qual, contra [a] esperança, para dentro de esperança creu, para tornar-se ele [o] pai de muitas nações, conforme aquilo tendo[-lhe] sido dito: "Assim será a tua semente."
Rm 4:19 E, não havendo ele enfraquecido na [sua] fé, não atentou para o seu próprio corpo já tendo sido tornado [como] morto (de quase cem anos [já] sendo), nem tampouco [atentou] para o estado de [como] morto do útero de Sara.
Rm 4:20 E, em relação à promessa de Deus, não foi abalado através de incredulidade, mas foi fortificado n[a] fé, havendo dado glória a Deus
Rm 4:21 E havendo sido plenamente persuadido de que, o que Ele tem prometido, também poderoso é para [o] fazer.
Rm 4:22 Portanto, isso também lhe foi imputado [como] justiça.
Rm 4:23 E isto (que lhe foi imputado [como justiça]) foi escrito, não somente para benefício dele,
Rm 4:24 Mas também para benefício nosso, a quem ela está para ser imputada, àqueles [que estão] crendo sobre Aquele havendo ressuscitado Jesus (o nosso Senhor) para- fora- de- entre [os] mortos;
Rm 4:25 O Qual foi entregue por causa das nossas transgressões, e foi ressuscitado a propósito da nossa justificação.

LTT: Bíblia Literal do Texto Tradicional Receptus, sem notas