Rm 6

Rm 6:1 Que diremos, pois? Permaneceremos nós no pecado, a fim de que a graça seja mais abundante?
Rm 6:2 Nunca seja assim! Nós, os que morremos para o pecado, como ainda viveremos nele?
Rm 6:3 Ou não sabeis vós que nós, tantos quantos fomos submersos para dentro de Jesus Cristo, para dentro da Sua morte fomos submersos?
Rm 6:4 Fomos, pois, juntamente sepultados com Ele por- meio- da submersão para dentro da morte; a fim de que, tanto- como foi ressuscitado [o] Cristo para- fora- de- entre [os] mortos através da glória de o Pai, mesmo- assim, também *nós*, em novidade de vida andemos.
Rm 6:5 Porque, uma vez que temos sido plantados juntamente com Ele na semelhança da Sua morte, assim também [o] seremos [na semelhança] da [Sua] ressurreição,
Rm 6:6 Isto sabendo [nós]: que o nosso velho homem foi crucificado juntamente com [Ele] a fim de que destruído seja o [nosso] corpo de o pecado, para não mais nós servir[mos]- como- escravos ao pecado.
Rm 6:7 Porque aquele havendo morrido tem sido libertado para- longe- do pecado.
Rm 6:8 Ora, uma vez que morremos juntamente- com [o] Cristo, estamos crendo que também estaremos- vivendo juntamente- com Ele,
Rm 6:9 Tendo nós sabido que [o] Cristo, havendo sido ressuscitado para- fora- de- entre [os] mortos, não mais morre: a morte, sobre Ele, não mais tem poder.
Rm 6:10 Porque quem morreu, para o pecado morreu de uma só vez por todas; quem, porém, vive, vive para Deus.
Rm 6:11 Desta maneira, também*vós* reconhecei [já] estar[des], vós mesmos, verdadeiramente mortos para o pecado, vivendo [vós], porém, para Deus, em Jesus Cristo, o nosso Senhor.
Rm 6:12 Não reine, pois, o pecado dentro do vosso corpo mortal, para obedecer[des] a ele nas concupiscências dele;
Rm 6:13 Nem [tampouco] apresenteis os vossos membros ao pecado [por] instrumentos de iniquidade; mas apresentai vós mesmos a Deus (na- qualidade- d[aqueles que], provenientes- de- entre [os] mortos, [estão] vivendo) e [apresentai] os vossos membros a Deus ([como] instrumentos de justiça).
Rm 6:14 Porque [o] pecado não terá domínio sobre *vós*, pois [vós] não estais debaixo de lei, mas debaixo d[a] graça.
Rm 6:15 O que, pois? pecaremos nós porque não estamos debaixo de lei, mas debaixo d[a] graça? Nunca seja assim!
Rm 6:16 Não tendes [vós] sabido que, a quem apresentais a vós mesmos por escravos para obediência, escravos sois daquele a quem obedeceis, quer d[o] pecado para [a] morte, ou d[a] obediência para [a] justiça?
Rm 6:17 Gratidão, porém, [seja expressa] a Deus porque éreis escravos do pecado, mas, provenientes- de- dentro- do coração, obedecestes à forma de doutrina que vos foi entregue.
Rm 6:18 E, havendo vós sido libertados para- longe- do pecado, fostes tornados- escravos para a justiça.
Rm 6:19 Segundo o modo dos homens falo, por causa da fraqueza da vossa carne. Porque, assim como apresentastes os vossos membros [como] escravos para a imundícia e para o desprezo- à- lei para dentro do desprezo- à- lei, assim apresentai agora os vossos membros [como] escravos para a justiça para dentro de santificação.
Rm 6:20 Porque, quando escravos éreis do pecado, livres- de- controle estáveis, para- longe- da justiça.
Rm 6:21 Qual [é], pois, [o] fruto que tínheis *então* sobre as coisas de que, *agora*, estais envergonhados? Porque o fim *daquelas coisas * [é a] morte.
Rm 6:22 Mas, *agora*, havendo vós sido libertados para- longe- do pecado, e havendo sido tornado- escravos para Deus, tendes o vosso fruto para dentro de santificação, e, ao fim, [a] vida eterna.
Rm 6:23 Porque oS salárioS do pecado [são] mortE, mas o dom gratuito de Deus [é a] vida eterna, em Jesus Cristo, o Senhor nosso.

LTT: Bíblia Literal do Texto Tradicional Receptus, sem notas