Rm 14

Rm 14:1 Mas, àquele estando fraco- e- necessitado em a Fé, recebei vós; [contudo,] não para- o- propósito- de contendas de dúvidas.
Rm 14:2 Porque um, em verdade, crê [poder] comer todas as coisas; mas ele ( sendo fraco) legumes come.
Rm 14:3 Aquele [que está] comendo não despreze aquele [que] não [está] comendo. E o [que] não [está] comendo não julgue ao [que está] comendo, porque Deus o recebeu [por Seu].
Rm 14:4 Quem és *tu*, que [estás] julgando o escravo- da- casa alheio? Para o seu próprio Senhor ele está em pé ou cai. Será, porém, firmado, porque poderoso é Deus para o fazer firme.
Rm 14:5 Um, em verdade, julga um dia [ser] superior a [outro] dia, [mas] outro julga [iguais] todos [os] dias. Cada um, em sua própria mente, esteja inteiramente- seguro.
Rm 14:6 Aquele [que está] fazendo caso do dia, para [o] Senhor faz caso [disto]. E aquele [que] não [está] fazendo caso do dia, para [o] Senhor não [o] faz. Aquele [que está] comendo, para [o] Senhor come, porque expressa [toda a] gratidão a Deus. E aquele [que] não [está] comendo, para o Senhor não come, e expressa [toda a] gratidão a Deus.
Rm 14:7 Porque nenhum homem de nós vive para si mesmo, e nenhum homem morre para si mesmo.
Rm 14:8 Porque tanto, caso vivamos, para o Senhor vivemos, como, caso morramos, para o Senhor estamos- morrendo. Portanto, quer vivamos ou morramos, de o Senhor somos nós.
Rm 14:9 Porque para isto [o] Cristo tanto morreu como ressurgiu e tornou a viver: a fim de, tanto d[os] mortos como d[aqueles que estão] vivendo, ser- [o]- Senhor.
Rm 14:10 Tu, porém, por que julgas o teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas o teu irmão? Porque todos nós estaremos de pé ante a cadeira- de- juiz de o Cristo.
Rm 14:11 Porque tem sido escrito: "[Como] *Eu* vivo, diz [o] Senhor, que a Mim se dobrará todo [o] joelho, e toda [a] língua confessará a Deus".
Rm 14:12 Assim, pois, cada um dentre nós, concernente a si mesmo contas dará a Deus,.
Rm 14:13 Que não mais, pois, uns aos outros nos julguemos; mas seja o vosso propósito, muito mais, não pôr pedra de tropeço (ou isca de armadilha) para o irmão.
Rm 14:14 Eu tenho sabido, e tenho sido persuadido pel[o] Senhor Jesus, que nada [é] imundo por si mesmo, a não ser para aquele [que está] supondo algo ser imundo; para aquele [homem], imundo [é isso].
Rm 14:15 Mas se, em- razão- d[a tua] comida, o teu irmão é contristado, não mais conforme [o] amor- caridade andas tu. Não, [em- razão- d]a tua comida, faças tu perecer aquele [homem] para- benefício- e- em- lugar- de quem [o] Cristo morreu.
Rm 14:16 Não seja, pois, blasfemado o vosso bem;
Rm 14:17 Porque não é o reinar de Deus comida nem bebida, mas [é] justiça, e paz, e alegria em [o] Espírito Santo.
Rm 14:18 Porque quem nestas coisas [está] servindo a o Cristo, [é] agradável a Deus e aprovado pelos homens.
Rm 14:19 Assim, pois, persigamos- em- busca- das coisas da paz e das coisas para a edificação de cada um para com os outros.
Rm 14:20 Não, por causa de comida, destruas tu a obra de Deus. Em verdade, todas as coisas [são] puras, mas [é] má para o homem que, com[- armação- de] pedra- de- fazer- tropeçar, [está] comendo.
Rm 14:21 Bom [é tu] não comer[es] carne, nem beber[es] suco de uva, nem [fazeres qualquer outra coisa] em que o teu irmão tropeça, ou é escandalizado, ou se enfraquece.
Rm 14:22 Tens *tu* fé? Tem-[na] para ti mesmo, debaixo da vista de Deus. Bem-aventurado [é] aquele [que] não [está] condenando a si mesmo naquilo que aprova.
Rm 14:23 Aquele, porém, tendo dúvidas, [ele], se comer, tem sido condenado, porque não [come] proveniente- de- dentro- de fé: e tudo o que não [é] proveniente- de- dentro- de fé pecado é.

LTT: Bíblia Literal do Texto Tradicional Receptus, sem notas